Adaptando-se à contabilidade consultiva durante a pandemia

A contabilidade consultiva é uma realidade cada vez mais comum em diversos escritórios contábeis pelo Brasil. Alguns, à sua própria maneira, desenvolvem metodologias e aplicam a abordagem de serviço a clientes com um perfil específico. Enquanto isso, outros tendem a uniformizar o atendimento com um caráter mais estratégico e decisivo. Mas, como se adaptar a essa maneira de trabalhar? Por onde começar?

Tornar-se um contador consultor não é tarefa das mais fáceis. Além de cuidar de todas as questões operacionais, é preciso, ainda, pensar de maneira mais estratégica e se manter à disposição dos clientes, servindo-os com informações valiosas e decisivas para o andamento dos negócios. De questões simples à necessidades que impactam a sobrevivência das empresas, o contador consultor precisa estar preparado para ajudar onde e como puder.

A Contabilidade Consultiva e o contraste com a prestação de serviços “comum”

Que a contabilidade ainda é vista como uma obrigação, não é segredo para ninguém. Não cabe ao contador julgar se o concorrente está fazendo certo ou errado ao cumprir o ofício contábil ao pé da letra e mostrar-se como “apenas” um prestador de serviços. Afinal, a consciência de que o mercado evoluiu e de que é preciso ir além do que a contabilidade tradicional pode oferecer ainda não faz parte do dia a dia de todos os contadores.

Durante a crise, o contraste entre abordagens contábeis se intensifica.

Enquanto os contadores que se limitam à prestação de serviços padrão podem continuar colhendo os frutos do seu trabalho com certa normalidade, se sobressai o contador que oferece, além do arsenal contábil, a estratégia para não apenas sobreviver em meio a problemas, mas também insights para antever crises e se preparar para momentos difíceis.

O contador consultor é notado todos os dias

Essa preparação faz toda a diferença e o momento atual representa um bom laboratório para tratarmos dessa questão. Veja, as empresas precisam, mais do que nunca, estar próximas da sua contabilidade durante a crise. É através do contador que o empresário encontrará as respostas que precisa para equilibrar as finanças, garantir que suas obrigações sejam cumpridas e buscar maneiras para manter o negócio de pé.

O contador não faz milagre. Mas, certamente pode colaborar com sua experiência e conhecimento. Como um profissional constantemente atualizado, você poderá contribuir com informações relevantes, novidades e atualizações por parte do Governo Federal e de Governos Estaduais, medidas econômicas, entre outras possibilidades que apenas quem está imerso no mundo contábil poderá conhecer.

Como se adaptar à contabilidade consultiva

Embora a realidade de tornar-se um contador consultor possa ser muito convidativa, é preciso garantir que os processos do seu escritório contábil estão à altura do desafio. Será necessário olhar com sinceridade para as falhas que já ocorreram e ainda ocorrem, identificar suas causas e trabalhar em uma solução.

A contabilidade consultiva utiliza elementos de gestão empresarial e, por consequência, marketing (não confundir com publicidade). O contador que vende a abordagem consultiva precisa saber aplicá-la primeiro em seu próprio negócio, e os lucros com essa perspectiva de serviço só poderão ser obtidos quando ela for realmente dominada.

Está tudo bem em tentar ser um contador consultor todos os dias. Mas, para chegar lá e aproveitar a totalidade da contabilidade consultiva, é necessário entender o momento do seu escritório contábil e quais medidas deverão ser tomadas para que você e sua equipe sejam capazes de oferecer essa nova realidade aos seus clientes. Lembre-se: eles precisarão de você! E quando chamarem, é necessário que você esteja a postos para atendê-los.

  • Identifique gargalos nos processos do seu escritório contábil;
  • Use sistemas que colaboram com a automatização de processos;
  • Comece a aplicar os conceitos de gestão e marketing da contabilidade consultiva ;dentro do seu próprio escritório;
  • Aprenda a posicionar-se além de um “auxiliar no cumprimento de obrigações”.